sábado, 2 de agosto de 2014

A APRESENTAÇÃO E O SIR ERIC

Quanto ao jogo de ontem, o que gostei mais foi da pressão a todo o campo; do entrosamento mesmo na segunda parte com uma equipa nova; e de Pereirinha ter respeitado o clube que o formou, oferecendo a bola à Juventude Leonina quando estava isolado. De resto foi um bom treino para vermos que há equipa. Apreciei também o espírito saudável que parece haver no grupo. Outra coisa: Com Bruno de Carvalho no banco, Shikabla, mesmo jogando o tempo que leva a percorrer do banco de suplentes à entrada do túnel, deve ter pensado duas vezes antes de arrancar para o balneário, e decidiu ficar para a festa. Diferenças.
Então o Eric, um homem de personalidade acima de crítica, com um pai esmerado na educação do filho, ambos mal-tratados pela direcção de Bruno de Carvalho, segundo muito do que se leu na blogosfera sportinguista, não teve uma única palavra na sua apresentação para os adeptos que tanto o apoiaram, gritaram por ele, e enxovalharam o presidente por o ter deixado sair? Mas o Eric não sabe fazer a destrinça entre o Clube e os adeptos? Ou tanto ele como o pai só funcionam ao combustível das libras? Ficava-lhe bem ter dito qualquer coisita àqueles que deixou cá a "chorar" por ele, ou ao clube que o devolveu à sua amada Inglaterra. Este será sempre o problema; num caso destes, diabolizar só uma das partes, normalmente, de prenda, recebe-se autênticas chapadas sem mão. Porque não ando aqui a ganhar créditos, apesar de não ter sentido uma pena extrema com a saída do Sir, custou-me a ausência de algumas palavras, mesmo que circunstanciais, para os que investiram tempo a defender e elogiar a família Dier. E isto porque, apesar da diferença de opinião, sou Sportinguista e odeio que tratem mal os "meus". Meteu tudo no mesmo saco e mandou tudo para o tal sítio. Continuar-se a acreditar que o Eric e o seu pai alguma vez quiseram renovar é como acreditar que o Duarte Gomes alguma vez irá ser imparcial quando apita o Sporting, mesmo num jogo a feijões.
 
Acredito na ingenuidade, não na inocência e na credulidade dos sportinguistas. Esta manifestação de carácter demonstrou a cepa com que é feito, e do próprio pai que cegou por já poder ir ao Festival de Marisco de Olhão, sem olhar aos preços.
PS - Agradeço as palavras simpáticas que me endereçaram no post anterior.

0 comentários:

Enviar um comentário

Pedimos somente que cada opinião, mais ou menos inflamada, tenha sempre presente o respeito que os outros nos merecem.

Obrigado!